Dividas: Como Renegociar E Pagar

0 votes

Devo não nego pago quando puder, quem nunca ouviu essa frase não é mesmo? Afinal as dividas assustam milhares de brasileiros, para sermos mais precisos, mais de 62 milhões de brasileiros estão inadimplentes, segundo o Serasa, e metade tem a renda inteira comprometida. Se você se encontra nessa porcentagem, fique tranquilo, separamos um post exclusivo para te ajudar a renegociar e pagar as suas dívidas.

Por onde começar?

dividas
@pexels

O primeiro ponto é você analisar o quanto você recebe por mês e quanto você gasta, sei que é óbvio, mas as vezes o óbvio precisa ser dito, afinal você não pode e nem deve gastar mais do que você recebe, para uma melhor organização, você pode criar uma planilha para controlar seus gastos, tendo assim uma visão mais ampla no final do mês com as suas despesas.

Para sermos mais práticos ainda, iremos separar alguns tópicos importante para você levar em conta na hora de se organizar.

 

Avalie toda a situação.

dividas
@pexels

Para que você consiga avaliar corretamente, será necessário que você organiza sua renda e suas gastos.

Antes de mais nada, você vai precisar fazer o levantamento das suas contas, incluindo todas as suas dívidas, como cartão de crédito, cheques, carnês, dentre outros, para isso você precisará levar em conta o que você recebe no mês e o quanto você gasta,

Por exemplo: recebo x reais por mês, tenho y para pagar e consigo ter uma parcela de x reais mensal para que consiga quitar minhas contas.

Importante lembrar de não esquecer de incluir na tabela as despesas fixas e variáveis, ou seja, aquelas que possuem um valor fixo e as que podem variar conforme o consumo.

Isso é importante porque esses dados irão te ajudar no cálculo do saldo devedor e na apresentação de uma proposta para a quitação. Com isso, você irá conseguir fazer uma projeção de quanto tempo será necessário para que você pague todas as suas pendencias.

Priorize suas dividas

dividas
@pexels

Quando for decidir qual dívida você irá pagar primeiro é importante priorizar a que oferece a maior taxa de juros, como é o caso das dívidas com banco. O motivo é que o não pagamento desse tipo de dívida tende a ser a maior causa de endividamento do brasileiro.

Por isso, elas devem ser negociadas primeiro em conjunto com as contas de consumo e financiamentos, afinal, o não pagamento das mesmas pode causar a interrupção dos serviços e até a penhora de bens.

Negocie suas dívidas

dividas
@pexels

Ninguém gosta de ser cobrado, não é mesmo? Por isso, não espere seus credores entrarem em contato com você, ao ficar ciente da dívida é importante que você entre em contato a fim de mostrar interesse em quitar a pendência.

Com isso, você deve sinalizar ao credor a opção mais viável de pagamento, com o valor e quantidade máxima de parcelas que cabem no seu orçamento. Se for possível realizar o pagamento à vista, pois é uma ótima possibilidade de reduzir a taxa de juros e conseguir condições especiais no acordo.

Por isso, a negociação da dívida é um momento de troca e o credor possui tanto interesse quanto você no pagamento da dívida. Contudo, essa negociação não deve ser algo unilateral. Durante a conversa, proponha soluções e alternativas para o pagamento da dívida. A negociação deve ser vantajosa para ambos.

Ao apresentar a proposta ao banco, por exemplo, é possível que ele ofereça uma contraproposta. Se isso acontecer com você, alertamos para que haja uma boa análise, para que você não aceite condições que não estejam adequadas à sua situação financeira. Vale a pena confrontar a proposta com a sua planilha de gastos para saber se ela está dentro do seu orçamento.

Além disso, se restar alguma dúvida, não decida por impulso. Discuta as condições de pagamento com a família e volte depois com uma contraproposta ou, se houver concordância, para assinar o contrato de negociação.

Vá aos feirões de negociação

dividas
@pexels

Alguns órgãos de proteção ao crédito e até mesmo instituições financeiras promovem feirões para facilitar o pagamento de dívidas. Esses eventos são ótimas oportunidades para conseguir condições especiais para quitar o débito.

Um bom exemplo clássico é o Feirão Serasa Limpa Nome, o maior evento de negociação de dívidas no Brasil. Para participar é fácil, você precisará se cadastrar na plataforma da instituição. Nesses casos, é possível conseguir condições melhores do que em uma tentativa isolada de negociação.

Certo, até aqui te mostramos como se organizar da melhor maneira a fim de você quitar as suas dívidas, correto? Vale lembrar da importância de você anotar tudo sempre, para verificar qual o melhor caminho a se seguir dentro de suas condições.

Não faça mais dividas

dividas
@pexels

Agora iremos falar de outro ponto, suponhamos que você tenha quitado suas pendências, e a pergunta agora seja; como não fazer mais dívidas? No final dessa matéria iremos te dar algumas dicas importantes para que essa situação não se repita novamente.

Mas antes, iremos falar sobre algumas vantagens de fazer a negociação de dividas online, e acredite vai além do fato de você não precisar sair de casa. Confira:

  • Segurança na transação: as plataformas online de instituições financeiras de confiança seguem padrões globais de segurança de dados, o que garante a sua proteção e de suas informações.
  • Rapidez e conforto na negociação: sem filas, negociações longas e análises demoradas. O procedimento pode ser realizado na internet mesmo, de maneira simples, prática e no conforto da sua casa.
  • Mais discrição: sem ligações, cartas e constrangimentos que distanciam o cliente. No sistema de quitação de dívidas online, não é necessário sair de casa para fazer a negociação.
  • Diálogo amigável: as plataformas online também possibilitam estabelecer um diálogo amigável entre os credores e devedores.
  • Flexibilidade de horário: na plataforma online, é possível escolher a melhor hora do dia para fazer a proposta. Isso só é possível porque o aplicativo está disponível 24 horas por dia e pode ser acessado de qualquer lugar.

Eai, curtiu essas dicas? E pra finalizar, papel e caneta na mão para anotar alguns pontos importantes para você não fazer mais dívidas futuramente.

Dicas extras

dívidas
@pexels
  • Não aceite o crédito fácil que algumas instituições ofertam com taxas maiores.
  • Mantenha a sua planilha financeira sempre atualizada.
  • Busque equilibrar as despesas e receitas, cortando os excessos.
  • Reserve pelo menos 5% da sua renda mensal para imprevistos, mesmo enquanto paga dívidas.
  • Evite fazer novas dívidas quando entrar dinheiro extra como 13º ou rescisão.
  • Use esse dinheiro para quitar dívidas atuais, poupe para imprevistos ou junte para comprar à vista.
Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *