Leasing: o que é e quais são seus tipos?

leasing
0 votes

Alguma vez você já ouviu falar sobre o termo leasing? Sabe a que ele se refere? Caso a resposta seja não,  não se preocupe que chegou o momento de explorar o assunto.

leasing
Fonte: TaxIndiaClub/Reprodução

O leasing é um produto bem comum nos Estados Unidos. Isso porque, a sua forma de tributação é diferente quando o assunto é o Imposto de Renda. Porém, como a sua vantagem é fiscal, quase cem por cento dos casos que o utilizam envolve pessoa jurídica e não física.

Ele é comparado por muitas pessoas com um aluguel. Isso porque, a operação não possui IOF, já que não chega a ser considerada uma operação de crédito. Além disso, é um aluguel que permite opção de compra no final do processo. Isso porque, com o tempo, o valor pago vai sendo abatido no valor final da compra.

Existem duas pessoas envolvidas no processo e que também precisam ser citadas. O arrendados, que é quem tem a propriedade e aluga o bem em questão. E o arrendatário, que é quem possui a posse e assim, usufruirá do bem alugado. Além disso, existem mais tipos de leasing. Os mesmos serão detalhados a seguir.

Compreendendo o processo leasing

leasing
Fonte: KBC/Reprodução

Compreender os tipos de leasing permite que, a melhor opção seja selecionada por cada pessoa e suas necessidades. No mercado financeiro, se tem hoje:

  • Leasing Financeiro: o mesmo possui um prazo mínimo de dois anos para bens que possuem vida útil de até cinco anos. Como, um carro. Já para bens com vida útil acima de cinco anos, como caminhões, o prazo mínimo é de três anos. Neste caso, o leasing costuma objetivar que a pessoa permaneça com o seu bem.
  • Já o Leasing Operacional, conta com prazo mínimo de noventa dias. O máximo é de setenta e cinco por cento da vida útil do bem. Nesse caso, a intenção costuma ser não ficar com o bem.
  • Há ainda o que é chamado de Sale and LeaseBack. O que se encaixa aqui é a vanda do bem com o recebimento de recursos. Normalmente o que ocorre é que é alugado o bem e se tem a opção de recomprá-lo ao final. Os imóveis são comuns aqui.

Dessa forma, cada pessoa e cada contexto, terão uma realidade diferente. É preciso analisar cada ponto para que assim, se estabeleça o melhor. De acordo com os objetivos da pessoa. Como, por exemplo, ela ficar ou não com o bem por um tempo. Ou ainda, o estado de cada bem. Dessa forma, será possível se chegar a melhor conclusão sobre o assunto. Isso precisa ter ênfase porque, nem todas as pessoas entendem as coisas dessa forma. Algumas começam a conhecer o assunto e acreditam que só há uma opção dele. E, posteriormente, podem acabar tendo problemas quanto ao retorno que esperavam. Pois, não o tem. Assim, explorar o tema é fundamental.

Mais sobre leasing

leasing
Fonte: Cyclone Computers/Reprodução

Há ainda muitas especificidades sobre leasing que precisam ser detalhadas. Entre elas, as vantagens e desvantagens de fazer uso da opçaõ. Isso porque, nem tudo são flores. Então, entender por completo o tema, muda tudo.

Entre as vantagens, encontra-se o fato de que, há características bem específicas com relação ao pagamento. E isso inclui descontos. Porque tudo pode ser negociado com relação ao tema. Há ainda outro detalhe bem atrativo que envolve existirem opções de contratos maiores do que a vida útil do bem. Isso faz com que, só se ganhe em meio ao contexto.

Mas, entre as desvantagens, pode não ser possível adquirir o bem ou ainda, as penalizações para quem não cumprir o contrato. Porém, é importante citar que, essa última desvantagem ocorre em qualquer transação. E no mundo todo. Quem não cumpre o combinado, acaba sofrendo as consequências da ação. Que podem ser, nesse caso, pagar valores altos de juros ou ainda, acabar sem o bem. Por isso, ao fechar a negociação, é sempre bom se atentar se todos os itens que a envolvem, poderão ser cumpridos. Diferente disso, os problemas podem ser grandes. E, ninguém quer problemas com a contratação do leasing. E sim, soluções. Não é mesmo? Então, pense sobre isso.

Especificidades sobre o processo

leasing
Fonte: Finances New Hebdo/Reprodução

Uma das perguntas mais comuns com relação ao tema leasing é do que acaba compensando mais: optar por ele ou ainda, por um financiamento. E, a primeira questão é que, tudo depende. Isso porque, de acordo com os objetivos de cada um, as opções mais vantajosas acabam mudando. Parece igual, mas, não é. Por isso, analisar a fundo se faz necessário. Porque, no final, uma coisa não tem nada de relação com a outra.

Já que, no financiamento, um bem é comprado. Claro que, juros altos costumam ser pagos. Mas, se pagará por algo seu. Depois de pagar por anos, o imóvel/carro/bem, lhe pertence.

Já no caso do leasing, as coisas não acontecem dessa forma. Como citado anteriormente, é uma espécie de aluguel. Então, mesmo que se pague por trinta anos, a propriedade continua sendo do arrendador. Sim, existe a possibilidade de compra no final. Mas, isso não significa que dará certo. Ou que ocorrerá. Como citado, é uma possibilidade, não uma certeza. Assim, se o arrendador não quiser, ele não vende. Não que o financiamento é mais ou menos vantajoso. Apenas tem esse detalhe de que pagar um aluguel por muito tempo, significa praticamente jogar esse dinheiro fora, pois não há um retorno.

Finalizações sobre o tema

Caso seja estipulado no contrato que ao final, a propriedade será vendida e o valor integral ou parte dele, pegos mensalmente, serão revertidos no valor da compra, ótimo. Mas, apenas cuide com a ideia do que ouve. Para negociar, todo mundo é bonzinho. Porque, o problema é na hora do vamos ver. Assim, aí se percebe que, nem todo mundo tem palavra e que, na verdade, o que foi combinado, dificilmente é cumprido. Pense sobre isso antes de mais nada. E compreenda que, as especificidades que envolvem o tema são muitas. Então, analise cada uma delas.

Leia agora sobre câmbio: liquidação e aspectos tributários! 

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *