Milhas: Como ficar por dentro das maiores oportunidades?

Oportunidades das Milhas

milhas
@pexels

Ter milhas acumuladas, pode significar dinheiro entrando na sua conta, atualmente o mercado de milhagem tem crescido consideravelmente nos últimos anos, é muito comum se falar sobre comprar ou vender milhas.

Com as múltiplas plataformas, hoje é possível ter uma renda extra somente vendendo as milhas que tem acumuladas.

Vamos fazer algumas possibilidades para se utilizar para aumentar o seu numero de milhas e vende-las obtendo um lucro satisfatório.

 

Lucre com milhas na compra de produtos com parceiros

milhas
@pexels

Existem sites que ofertam promoções como 5 pontos a cada 1 real gasto, ou 25 pontos por real gasto no TudoAzul da empresa Azul Linhas Aéreas; muitas pessoas ignoram esse tipo de oferta, pois julgam não precisar de nada que possui na loja, então não compra.

Porém, aproveitar estas promoções pode ser o pulo do gato em questões estratégicas para chegar a lucratividade com as milhagens, por exemplo, numa dessas ocasiões você pode comprar o ultimo smartphone da Apple, mesmo que não precise do produto, poderá vende-lo posteriormente em sites de compra e venda livre como a Olx por exemplo.

A ideia é simples, deve acumular pontos comprando produtos que possam ser comercializados, você poderá repassar o produto por um preço menor que o oferecido pelo mercado, pois o valor que receberá na venda das milhas será superior ao desconto feito no seu produto. Por exemplo: há uma promoção em um site “X” que vai te dar como bônus 10 pontos a cada real gasto, se o seu smartphone custou 5 mil reais, você receberá 50 mil pontos. Mesmo que venda o produto com um desconto de 15%, você ainda terá lucro na venda da milha.

Sempre busque pesquisar o mercado, uma vez que o produto ofertado pode estar acima do valor, isso faria que não compense, pois estaria pagando por um produto com valor acima do mercado.

O Agrupamento

milhas
@pexels

Você poderá utilizar uma outra técnica que chamamos de agrupamento, que nada mais é que aproveitar mais de uma promoção em uma única compra. Essa técnica é mais complicada pois muitas ofertas deixam claro que não são acumulativas com outras promoções, mas, eis que surgem as extensões de navegadores que vão te auxiliar neste sentido.

Um exemplo fácil de aplicar essa estratégia é o seguinte, com muita frequência, acontecem promoções que permitem o acumulo para os programas de fidelidade em lojas parceiras, como Submarino ou Americanas. Você pode utilizar o hotsite do programa para entrar na loja e lucrar com milhas e posteriormente pagar com o Ame Digital e receber descontos e um cashback.

Outra opção é utilizar cupons de desconto junto com as promoções de pontos por valor gasto. Vale a pena pesquisar naquelas lojas que não estão tendo promoções que consiga aproveitar junto. Por mais que o desconto não entre no cálculo dos pontos, o valor ficará baixo.

 

Utilize seguro proteção para lucrar com milhas

milhas
@pexels

Este beneficio é ofertado pelos cartões de credito e funciona da seguinte forma, suponhamos que você comprou uma TV na loja A, e dias depois a loja B, colocou o mesmo produto com 25% de desconto. Neste caso você pode acionar a bandeira do seu cartão e ela vai restituir parte do valor que você pagou no produto.

 

A seguir vamos passar mais dicas para ganhar dinheiro com milhas.

Como ganhar dinheiro com milhas?

milhas
@pexels

Primeiramente você deve montar um planejamento, para entender como funciona os processos. Para acumular milhas de verdade, é preciso se planejar, otimizando cada uma das oportunidades que existem no mercado. Se você quiser ganhar um milhão de milhas, precisa criar um milhão de oportunidades. Simples assim.

Posteriormente você deve entender como funciona os sistemas, não será somente entrar no site da companhia aérea e comprar passagens, você pode seguir dicas como as ditas anteriormente nos primeiros tópicos. Mas sempre tenha muita atenção pois as milhas expiram e você precisará fazer com que elas tenham uma alta rotatividade e fazer com que sejam melhor aproveitadas.

Após conhecer detalhadamente o universo dos programas de milhagem e os clubes, você vai conseguir identificar as oportunidades que vão aumentar seu estoque de milhas, sem a necessidade de comprar pesagens.

Uma dica muito importante é não ficar aguardando as oportunidades, pois, é um dos maiores erros para quem pretende ganhar dinheiro com milhas. Para ganhar dinheiro com milha é necessário ser proativo, ou seja, corra atrás das oportunidades e não fique esperando elas caírem no seu colo.

Fique sempre atendo a todas oportunidades, como promoções de milhas divulgadas no site, ou uma negociação em bases, analise sempre o mercado.

Rotina de oportunidades

milhas
@pexels

Informação nos dias de hoje é tudo, e dentro dos programas de milhagem não vai ser diferente, neste negócio será essencial para a sua lucratividade.

Os programas de milhas e fidelização, fazem promoções constantemente, com isso você passa a encontrar as oportunidades de compra para fazer dinheiro.

 

Gire seu estoque

milhas
@pexels

Um dos principais mitos sobre os programas de milhagem é que você deve ir acumulando o máximo de milhas possível, que irá conseguir uma viagem internacional sem pagar um real, e não é bem assim que funciona.

As vezes para ganhar, é necessário deixar de ter e parar de ficar olhando somente para o valor de pontos acumulados. Uma situação muito interessante é você vender as suas milhas e compra-las de volta por um valor mais em conta.

Você pode se tornar um negociador de milhas, aquele que busca por compras baratas e vendas mais caras.

Compre e venda de milhas

milhas
@pexels

Acumule milhas de maneira eficiente e busque as melhores promoções para aumentar o seu saldo. Então faça suas milhas girar, igual uma bolsa de valores, compre em baixa, venda em alta e aumente seu lucro.

Busque por site de venda de milhas, onde vai transformar as suas milhas em dinheiro na sua conta bancária. É um negócio legal no território brasileiro e ele já movimenta milhões de reais anualmente.

Faça a venda das suas milhas em momento de forte demanda, como por exemplo nas altas temporadas e reponha o estoque em baixa temporada.

Faça sempre o monitoramento ideal e trabalhe com contas pois é com as boas estratégias que vai obter os maiores lucros.

Para saber mais sobre milhas leia nossas outras matérias.

Vender Milhas: Qual A Melhor Época Do Ano?

No post de hoje iremos falar sobre a queridinha para as viagens: as famosas milhas. Mas afinal, você sabe quais são as vantagens de comprar e vender milhas? Se não, continue aqui que iremos te auxiliar. Afinal, aproveitar bem os programas de milhas e pontos das companhias aéreas é o primeiro passo para quem pretende economizar na próxima viagem. Pois, esses pontos podem se transformar em uma passagem totalmente grátis para o seu próximo destino.

A grande dificuldade para a maioria das pessoas é conseguir acumular a quantidade necessária para a emissão de um bilhete aéreo. O total de pontos varia de acordo com o destino, a data da viagem e o valor em reais da passagem

Uma vantagem de comprar milhas de empresas como GOL, LATAM e Azul é inteirar os pontos que você precisa para realizar aquela viagem tão sonhada.

Por outro lado, se você tem milhas acumuladas e não vai viajar, a sua venda pode ser uma forma de ganhar um dinheiro e tê-lo em mãos.

A dica é ficar atento ao prazo de validade das suas milhas nos diferentes programas de fidelidade para saber o que vale mais a pena fazer com elas!

 

Qual o seu objetivo com as milhas?

vender milhas
@pexels

Se o seu objetivo for viajar, as férias de julho e janeiro são a melhor época para vender suas milhas. Mas por quê?

É simples! Você já tentou resgatar uma passagem em alta temporada, e percebeu que ela ou está muito cara ou nem mesmo é possível de resgatar? É por isso.

Na alta temporada, as companhias de aviação estão cheias de pedidos e com poucos espaços vazios nos voos. Empresas de milha, da mesma forma, estão cheias, o que inflaciona o mercado e dificulta a conversão na hora de vender milhas.

Essa inflação causa várias empresas ficarem sem disponibilidade para emitir a passagem no resgate dos pontos. Assim, vários horários e dias ficam impossíveis de serem reservados.

As empresas compradoras negociam lotes a partir de 10 mil milhas por entre R$ 220 e R$ 290 o lote. O preço pode oscilar um pouco, mas a liquidez não: é fácil e rápido vender as milhas dos quatro programas nacionais – Multiplus (Latam), Smiles (Gol), TudoAzul (Azul) e Amigo (Avianca).

Mas lembre-se de que, se houver passagem disponível para um destino que lhe interessa, na data que você pode ir e pela menor quantidade de milhas que o seu programa pratica para essa distância, será mais vantajoso trocar os pontos pela tão sonhada viagem.

Existe realmente a melhor época para vender suas milhas?

vender milhas
@pexels

Um programa com saldo recheado de milhas tende a render múltiplas e vantajosas viagens domésticas, mas trocar esse milharal por um único bilhete pode ser mal negócio.  Num voo de ida e volta São Paulo-Toronto (19 a 29 de junho), por exemplo, os 95 mil pontos da Smiles usados num voo da Delta com uma conexão aliviam uma passagem de R$ 2 194 (sem taxas), valor um pouco abaixo dos R$ 2 300 conseguidos com 100 mil milhas Smiles no mercado. No dia dessa simulação, porém, surgiu uma promoção da United para Toronto, com uma conexão mais rápida, por R$ 1 740, ampliando para R$ 560 a vantagem de quem vendesse as milhas.

 

Mas a questão é: como vender milhas? Para você entender melhor, nós iremos te apresentar os melhores sites disponíveis atualmente para essa venda e te dar algumas dicas práticas para isso.

 

Transferência no momento certo

vender milhas
@pexels

Saber o melhor momento para transferir os pontos acumulados no cartão de crédito para o programa de fidelidade da companhia aérea também é fundamental. Em geral, a conversão é de um para um. As empresas, no entanto, costumam fazer promoções ao longo do ano, com bônus que podem variar de 30% a até 120%.

 

Quando surgem essas promoções, geralmente não basta apenas transferir imediatamente seus pontos. Em muitos casos, é necessário fazer um rápido cadastro ou simplesmente fazer a transferência por meio de um site específico.

 

Há casos também em que os bônus são maiores para quem assina algum clube de milhas ou pontos. Essa, aliás, é outra forma de acelerar seus pontos.

 

Afinal, quanto vale a milha?

vender milhas
@pexels

MaxMilhas:

  • 10 mil milhas na GOL: R$205,70
  • LATAM: R$244,90
  • Azul: R$219,60

 

  • HotMilhas: é preciso cotar especificamente até 45 dias

 

  • CashMilhas: é preciso cotar especificamente até 30 dias

 

  • Credimilhas: é preciso cotar especificamente até 48 horas

 

Agora, se você está em busca por alternativas que permitam a venda de milhas, chegou o seu momento.

Listamos os principais sites que trabalham com esse tipo de venda para que você possa fazer uma escolha consciente.

Antes, vamos pontuar um detalhe: a maioria dos sites pede que o cliente faça uma solicitação da venda, inserindo um valor que gostaria de pedir pelas milhas.

Para isso, é preciso preencher um formulário e aguardar pela aprovação dos consultores de cada empresa. Eles podem ou não aceitar aquele valor.

Nesse sentido, listamos o valor apenas da empresa MaxMilhas, que sinaliza sua tabela de forma clara no site.

  1. MaxMilhas
  2. HotMilhas
  3. CashMilhas
  4. Credimilhas
  5. MasterMilhas
  6. Flex Milhas

 

Conclusão

vender milhas
@pexels

Antes de decidir qual atende melhor seus objetivos, é preciso analisar qual atende melhor o seu perfil. No caso das companhias aéreas, há questões como qual opera no destino para o qual você pretende viajar e quais as companhias aéreas parceiras. Em algumas, há uma pontuação fixa para resgate da passagem. Em outras, a quantidade varia de acordo com a demanda por aquele voo.

Seja qual for a escolhida, a melhor estratégia é concentrar todas as transferências de pontos, e até os voos, sempre na mesma companhia aérea. Você vai acumular mais pontos e ter mais chance de subir no status do programa de fidelidade, o que gera mais chance de conseguir emitir sem custos a passagem aérea para suas próximas férias.

E aí? Preparado para viajar? Seja qual for seu interesse, se é comprar ou vender milhas, espero que você tenha tirado suas dúvidas.

Não esqueça de organizar sua viagem direitinho e, claro, suas finanças. Nesse sentido, os melhores apps de controle financeiro podem ser uma “mão na roda” para você.

Ademais, aproveite bastante e sempre que tiver oportunidade de viajar barato, não deixe passar.

Conhecer lugares novos, uma cultura diferente da sua e pessoas novas é uma experiência incrível! O mundo está pronto para você explorá-lo.

Para saber mais sobre milhas leia nossas outras matérias.

 

Saiba Como Negociar As Suas Dívidas E Evite Dores De Cabeça

Saber negociar dívidas é essencial. Todos nós estamos passiveis a sofrer com os imprevistos financeiros, que podem ocorrer por conta do desemprego até um acidente. Mas é fundamental saber como negociar e sair dessa situação o mais rápido possível. Para ter finanças em dia o ponto inicial é ter o nome limpo.

É muito importante não comprometer totalmente o seu orçamento no ato de uma negociação e barganhar o maior desconto possível.

 

 Como negociar as dívidas?

dívidas
@pexels

A partir do momento que você tem uma conta em inadimplência, está correndo o risco de ter o seu nome incluso em lista de nomes sujos, que pode ser o SPC ou Serasa.

Sabendo se organizar, todo mundo consegue pagar as dividas com um precinho que cabe no bolso, é um caminho de pedras, mas aos poucos você vai conseguir quitar as dividas e organizar o seu orçamento.

Evite a inadimplência

dívidas
@pexels

Para evitar uma inadimplência, vamos apresentar alguns itens importantes para saber como negociar as suas dívidas.

– Faça uma listagem de tudo aquilo que está devendo, o passo inicial é saber exatamente o que você deve e o quanto deve, coloque tudo no papel ou em uma planilha, trabalhe com a ferramenta que se adaptar melhor. Insira financiamentos, empréstimos, cartões de credito, qualquer tipo que conta que está atrasada.

Paralelo com a sua listagem aproveite o momento e faça uma pesquisa na praça de credito, SPC, Serasa, Scpc, com isso você irá descobrir se possui dividas em cartório, ações na justiça, ou outras pendencias financeiras.

– O segundo passo será entender como está o seu orçamento, você deve analisar o quanto ganha e o quanto gasta e novamente papel e caneta na mão ou use planilhas. Com isso, você pode controlar os seus gastos e definir onde economizar.

Corte todos os gastos desnecessários com itens supérfluos para conseguir fechar o mês no azul e prosseguir com o pagamento das dívidas.

Fazer cortes de custos não é agradável, mas entenda que é por um período, nada é para sempre. O fato de não entender como avaliar o seu orçamento pode ter sido circunstancial para cair na inadimplência, gerando um transtorno a você.

Levante a cabeça e comece a economizar no seu dia a dia.

– A partir do momento que entendeu o seu orçamento, agora é a hora de saber o valor que vai ter para pagar as dívidas. Para poder barganhar no desconto busque efetivar pagamento a vista, mas se não for possível, realize o parcelamento com um valor que não vai estourar o seu orçamento.

É fundamental ter os pagamentos dos boletos em dia. Em caso de atrasos o pagamento pode fazer o acordo ser quebrado. Em outras palavras, chegam os juros e multas, com isso a dívida volta ao valor inicial.

– Busque uma renda extra, é possível que mesmo reduzindo os seus gastos, falte dinheiro para pagar e negociar as dívidas, com isso, é o momento de fazer um extra.

Você pode usar o seu talento pra vender produtos, ou virar motorista de aplicativo nas horas vagas, use a sua criatividade para poder aumentar o seu faturamento.

 

– Hora de pagar as dívidas, busque fazer negociações, tente descontos, faça contato com quem está devendo, muitas vezes você vai conseguir negociar de forma online, economizando tempo, mas, tome sempre muito cuidado com links falsos e golpistas.

 

O que é Dívida Ativa?

dívidas
@pexels

Embora algumas pessoas digam que têm dívidas ativas em seu nome, isso não significa que tenham dívidas ativas. Nesse caso, significa especificamente dívida com o governo, seja ele municipal, estadual ou federal.

Em outras palavras, quem deixa de pagar impostos vai se endividar ativamente. Por exemplo, quem não paga o IPTU vai deixar uma dívida ativa com o município.

Se você deixar de realizar o pagamento do IPVA, isso irá gerar a inscrição na dívida ativa do Estado.

Um item que existe muita confusão, é quanto as categorias de dívida tributária e não tributaria.

Primeiramente fica todos os impostos (tributos). Posteriormente, estão as taxas, indenizações e serviços prestados em locais públicos. Ou seja, tudo que não é imposto.

Negociações com Bancos

dívidas
@pexels

Atualmente realizar negociações para limpar o nome está mais prático, existem ferramentas online para negociar.

Entre no site do devedor e busque fazer a negociação, com alguns cliques você vai conseguir fechar o acordo de receber o boleto de pagamento.

Dívida com cartão de credito

dívidas
@pexels

Muitas pessoas buscam fazer cartão de credito com o nome sujo, mas vale ressaltar que cartão de credito pode te levar a maiores dividas e uma inadimplência ainda maior, saiba usá-lo com consciência.

Antes de fazer contato com um banco e solicitar um cartão de credito, pague o que você deve e limpe o seu nome, posteriormente, você analise se ter um cartão é necessário para a sua vida.

Para quem já está com dívida no com cartão de credito o principal cuidado é com os juros, muito provavelmente você já ouviu falar que os juros de cartões são os mais altos do mercado.

Juros do Cartão de crédito

dívidas
@pexels

O Banco Central criou novas regras de credito, atualmente quem pagar menos do que o valor integral da fatura, entrará no rotativo do cartão, mas só pode entrar nesta situação uma vez.

Na fatura do mês posterior o cliente precisa escolher se paga o valor integral da fatura ou se aceita um empréstimo do banco.

Se não aceitar qualquer uma delas, certifique-se que em poucos dias você estará com o seu nome sujo.

Segundo o Banco Central, a regra foi criada para reduzir a “bola de neve” do cartão de credito. Ou seja, quando a uma pessoa realizava o pagamento mínimo da fatura por meses seguidos.

Com isso os juros triplicavam em pouquíssimo espaço de tempo.

Entenda que ter dividas é ruim para o seu bolso, pois você perde dinheiro realizando pagamento de juros.

Ao invés de pagar juros e multa busque economizar e investir, com aplicações você terá lucros, mas nunca se esqueça de fazer o item principal, a reserva de emergência. Pois com ela você não correrá riscos de cair na inadimplência novamente.

Como Investir O 13° Salário E Obter Lucros

Você já imaginou que pode pegar o seu 13° salário e investir para poder atingir lucro e realizar os seus sonhos?

Investir o decimo terceiro ou uma porcentagem dele, é uma ótima forma para ingressar no mercado financeiro e expandir os seus rendimentos para quem já está dentro do mercado.

Poupar dinheiro nem sempre vai ser fácil, no final do ano, te torna uma missão quase impossível, por conta das promoções de final de ano, como a Black Friday, ou até mesmo você utiliza o capital para pagar algumas contas e não começar o ano com dividas, mas, você pode chegar ao objetivo de poupar e obter lucros.

Saiba que é possível fazer investimentos com pouco dinheiro e chegar a lucros satisfatórios.

Por que investir o 13° salário

13° salário
@pexels

O 13° salário é uma ótima oportunidade para investir, pois é um rendimento extra que não é acumulado com o seu orçamento mensal.

Antes de utiliza-lo com um presente, a alternativa é investir para poder colher rendimentos no futuro, este dinheiro irá ajudar a construir o seu patrimônio e também a realizar os seus sonhos, como a compro de um imóvel, carro, viagem, ou até mesmo garantir uma aposentadoria mais tranquila.

Como existem sonhos que tem valores mais elevados, investindo, você consegue chegar ao objetivo mais rápido, para isso, comece a ter hábitos de economia financeira.

 

Quanto investir do 13° salário?

13° salário
@pexels

Inúmeras pessoas têm em mente que o 13° salário é utilizado apenas para compras de final de ano, lazer e viagens. Porém, elas esquecem no inicio do ano seguinte a contas como, IPVA, IPTU, material escolar e reajustes em contas mensais.

Então, o que fazer? Investir tudo? Ou gastar tudo? você pode fazer um sistema hibrido, resumidamente, os dois, desde que você tenha em mente que deve fazer um planejamento da forma de utilização deste capital.

Primeiro passo é analisar como está suas finanças, está no vermelho? Então é melhor montar uma estratégia para sair deste status.

Se não estiver inadimplente com nenhuma empresa, evite gastar sem limite para que não entre neste status com os presentes natalinos.

Separe uma verba necessária para as contas atuais e de início de ano, após definir os valores, veja o quanto você poderá investir, lembre-se que, quando mais tiver para investir, maior será a sua rentabilidade.

Atualmente você pode ter bons resultados investindo a partir de 1000 reais aplicados no CDB.

 

Como investir o 13° salário ou uma parcela dele

13° salário
@pexels

Você sabe que investir é um bom negócio, então, é o momento de conhecer quais opções existem no mercado para poder realizar investimentos.

De inicio uma modalidade adequada para o cenário exposto é a renda fixa, pois com ela os rendimentos são positivos, e tem um baixo risco, pois contam com a proteção do FGC. A renda fixa é fácil de compreender e você vai conseguir acompanhar o seu desempenho diariamente.

Atualmente você vai encontrar no mercado muitas modelos de investimentos de renda fixa, então, defina um objetivo antes de aplicar.

Seu objetivo é uma viagem internacional em 2 anos, por exemplo, utilize o modelo de investimento com este prazo, pois ao mobilizar o seu dinheiro por mais tempo, maior será as suas rentabilidades financeiras.

Para facilitar, vamos mostrar alguns tipos de investimentos disponíveis que poderá utilizar, de acordo com o seu objetivo principal.

1 – Letras de Crédito

Assim como outros investimentos de renda fixa, existem também as LCs, com um aporte mínimo de até um mil reais. Este método de investimento funciona como um CDB, mas é considerada uma aplicação com um risco maior. Que ocorre por conta que as Letras de Crédito é emitida pelas financeiras, então existe uma grande possibilidade de falência do que com um banco.

Mas certifique-se que para aplicações até 250 mil reais, você vai estar protegido pelo FGC.

Há também opções de LCI/LCA que são isentas das cobranças do Imposto de Renta, o aporte inicial é de 3 mil reais.

 

2 – CDB

O CDB é o comprovante de deposito bancário, é um título de renda fixa privada, feita pelos bancos. Ele funciona como se estivesse emprestando dinheiro ao banco, em troca ele vai te retribuir com o pagamento de juros.

A rentabilidade dos CDBs possui uma classificação que é:

– Prefixados (taxa fixa de rendimento)

– Pós-fixados (paga um percentual de um indexador, como o CDI)

Se houver o interesse para investimento neste método, é preciso considerar alguns fatores como a taxa de rentabilidade, prazo de vencimento e a nota de rating da instituição bancaria. Em grande maioria, as instituições oferecem CDBs com rentabilidade acima do CDI, ou seja, o que for investido, poderá ter rentabilidade de 6,5% ao ano.

Quando maior for o risco, maior é a margem de rentabilidade, o mesmo vai ocorrer com os vencimentos de prazo longo, pois o seu capital estará comprometido em um maior tempo.

Uma das vantagens para estas aplicações é que ela é segurada pelo FGC, para valores até 250 mil reais, se o banco quebrar, você terá o seu dinheiro de volta.

3 – Tesouro direto

O tesouro direto é um titulo publico emitido pelo tesouro nacional. Ele nada mais é que o empréstimo do seu dinheiro ao governo.

Atualmente os papeis oferecidos são categorizados segundo a forma de rendimento utilizada.

– Atrelados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais)

– Prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais)

– Atrelado à taxa Selic (Tesouro Selic)

Se você precisar resgatar o seu investimento antes do prazo acordado, o melhor a ser feito é investimentos no Tesouro Selic, pois ele tem rendimentos positivos e com maior estabilidade. No ato da escolha, analise cada um dos títulos, a sua taxa de rentabilidade e a data do vencimento.

A maioria das pessoas buscam usar o seu 13° salário para gastos com lazer, compras supérfluas e presentes, isso é muito bom, mas entenda que o ideal é ter um planejamento do dinheiro recebido, defina as prioridades do momento e analise as situações de investimento disponíveis, faça com que o dinheiro trabalhe para você.

Para saber mais sobre como ganhar mais dinheiro leia nossas outras matérias.

Descubra o que são criptomoedas e para que servem

Veja neste artigo o que são criptomoedas e para que elas servem e comece a investir nelas ainda hoje!

Se você se interessa por investimentos, com certeza já ouviu falar das criptomoedas, as famosas moedas digitais que já conquistaram espaço no mercado.

A moeda Bitcoin é uma das mais faladas no mercado, mas o que será que isso significa? O que são criptomoedas? Como elas funcionam?

São diversas as dúvidas dos investidores sobre as moedas digitais!

Quer saber mais sobre criptomoedas? Então leia este guia completo sobre o que são criptomoedas e fique por dentro do assunto!

Boa leitura!

Afinal, o que são criptomoedas?

o que são criptomoedas
Fonte: Pixabay

As moedas criptográficas são moedas digitais ou virtuais capazes de operar como meio de troca em nível de pessoa para pessoa, permitindo pagamentos diretos entre indivíduos.

Apesar de existir há vários anos, as criptomoedas tornaram-se um fenômeno global em 2017, quando o preço do Bitcoin subiu para quase vinte mil dólares.

Além disso, 2017 também marcou o ano em que o comércio de criptomoedas se tornou uma opção de investimento popular e fonte de renda ativa para pessoas em todo o mundo.

Desse modo, a moeda criptográfica é uma forma de pagamento e também de troca online por bens e serviços.

Muitas empresas emitem suas próprias moedas, muitas vezes chamadas fichas, e estas podem ser negociadas especificamente pelo bem ou serviço que a empresa fornece.

Dessa maneira, você precisa trocar a moeda real pela criptomoeda da empresa para ter acesso ao bem ou serviço que deseja.

As moedas criptográficas funcionam usando uma tecnologia chamada Blockchain.

A Blockchain é uma tecnologia descentralizada espalhada por muitos computadores que gerencia e registra transações.

Parte do apelo desta tecnologia é sua segurança, mas vamos falar sobre isso no próximo tópico!

Como funcionam as criptomoedas?

Agora que já definimos o que são criptomoedas, vamos falar sobre como elas funcionam na íntegra e quais são as principais do mercado.

Ao longo dos últimos anos, a natureza da moeda criptográfica tem se tornado cada vez mais complexa.

Algumas moedas existem como fichas de utilidade, e outras como fichas de segurança, com várias definições existentes para ambas.

Desse modo, com o objetivo de fornecer uma introdução básica às criptomoedas.

Vamos prosseguir com a compreensão de como as moedas criptográficas funcionam com base em seu propósito ‘original’, ou seja, facilitar as transações digitais.

A ideia de “facilitar transações digitais” ainda pode parecer um tanto vaga.

Portanto, sejamos mais precisos: através das criptomoedas, as pessoas são capazes de transferir valor entre si de forma direta, semelhante a uma transação em dinheiro.

Veja um exemplo prático:

Por exemplo, imagine João, Sandra e Carlos: três amigos que foram uma sexta-feira à noite no cinema.

Sandra pagou o bilhete de cinema do Carlos no balcão (em dinheiro), e o Carlos quer pagar a Sandra de volta no final da noite.

Este processo poderia ocorrer através do pagamento em dinheiro (Carlos entregando fisicamente o dinheiro devido a Sandra).

Alternativamente, se John não tiver dinheiro em espécie, ele pode decidir usar seu aplicativo bancário online para pagar a Sandra de volta ‘digitalmente’.

Para isso, ele precisaria informar ao seu banco a quantia que gostaria de transferir para Sandra, bem como os dados bancários dela, onde o dinheiro seria enviado dentro de alguns dias, horas ou minutos.

O banco, portanto, desempenha um papel central na transação, registrando o dinheiro que sai da conta do Carlos, bem como o pagamento recebido na conta da Sandra.

Esse é um exemplo prático do que pode ser feito com as criptomoedas, mas além de transferir para outras pessoas, você pode pagar por bens e serviços diretamente, com maior autonomia.

Além disso, a chance da valorização dessas moedas serem altas no futuro é bem grande, como o caso do Bitcoin.

O que é Blockchain e para que serve a mineração de dados?

Blockchain
Fonte: Pixabay

Ao se perguntar sobre o que são criptomoedas, é totalmente normal a dúvidas sobre o que é Blockchain e como essa moeda funciona.

Blockchain é uma aplicação de software que rastreia os dados armazenando-os em blocos que depois são encadeados cronologicamente.

Pense em um Blockchain como um recibo de transações ou dados que são validados e armazenados e que podem ser vistos mais tarde.

Desse modo, a tecnologia Blockchain pode ser a base de muitas aplicações diferentes, tais como criptomoedas, contratos inteligentes, informações de rastreamento e quase qualquer outro processo digital que possa exigir observação.

No caso da criptomoeda, os computadores validam o movimento de dinheiro de pessoa para pessoa ao longo do tempo, deixando um registro permanente que pode ser acessado mais tarde.

Sendo assim, é como um recibo detalhado de cada transação já realizada.

A tecnologia da Blockchain é frequentemente descentralizada.

Isso significa que a capacidade de escrever no banco de dados é dada a uma rede de computadores, como é o caso das criptomoedas.

Para que servem as criptomoedas?

Agora que já falamos sobre o que são criptomoedas e sobre Blockchain, vamos explicar para que servem as moedas criptográficas.

Você pode fazer uma série de coisas com criptomoedas, dependendo de qual delas você está trabalhando.

Basicamente, a definição de um ativo com moeda criptográfica é que ele pode ser usado para enviar valores de uma pessoa para outra, ou para pagar por bens e serviços.

Cada ativo possui um valor, muitas vezes cotado em dólares americanos, o que leva a outro caso de uso: negociação e investimento.

Além das moedas estáveis – que procuram estabilizar a instabilidade das moedas criptográficas, vinculando um ativo a outra coisa, como o dólar americano – a maioria das moedas criptográficas flutua constantemente no preço.

Dessa maneira, Você pode negociar entre moedas criptográficas e moedas nacionais (chamadas moedas fiat) em bolsas, dependendo dos pares de negociação disponíveis na plataforma de escolha.

Se você é um comerciante, você também pode aceitar ativos digitais como pagamento, diretamente ou através de um processador ou serviço de pagamento que seja mais conveniente e que possua benefícios.

Alguns serviços dão a opção de converter as criptomoedas pagas em dinheiro automaticamente no back end.

Além disso, existem algumas empresas que oferecem cartões de débito criptográficos que são indistinguíveis de qualquer outro cartão plástico para pagar por bens ou serviços.

É possível também extrair as moedas criptográficas.

Desse modo, a mineração usará o seu computador ou hardware designado para ajudar a executar as redes que fazem parte dos ativos criptográficos.

Veja quais são as principais criptomoedas

1. Bitcoin (BTC)

Criado em 2009 por Satoshi Nakamoto, o Bitcoin (BTC) é uma criptomoeda original.

Como na maioria das moedas criptográficas, o BTC funciona em um blockchain, ou seja, em um ledger que registra as transações distribuídas por uma rede de milhares de computadores.

Como as adições aos ledgers distribuídos devem ser verificadas através da solução de um ‘quebra-cabeça’ criptográfico, um processo chamado prova de trabalho.

Desse modo, o Bitcoin é mantido seguro e protegido contra fraudadores.

O preço do Bitcoin disparou nos últimos anos. Há cinco anos, você poderia comprar uma Bitcoin por cerca de 500 dólares. A partir de 30 de setembro de 2021, o preço de um único Bitcoin era superior a 43.000 dólares.

Isso é um crescimento de cerca de 8.600%.

2. Ethereum (ETH)

Tanto uma criptomoeda quanto uma plataforma de blockchain, o Ethereum, é o favorito dos desenvolvedores de programas devido às suas aplicações potenciais.

Como os chamados contratos inteligentes que executam automaticamente quando as condições são cumpridas e os tokens não fungíveis (NFTs).

O Ethereum também tem experimentado um tremendo crescimento no mercado.

Em apenas cinco anos, o seu preço passou de cerca de 11 dólares para quase 3.000 dólares, um aumento de mais de 27.000%.

3. Tether (USDT)

Ao contrário de algumas outras moedas criptográficas, Tether é uma moeda estável, ou seja, é apoiada por moedas fiat como o dólar americano e o euro e, hipoteticamente, mantém um valor igual a uma dessas denominações.

Em teoria, isto significa que o valor do Tether é supostamente mais consistente que outras criptomoedas, e é favorecido por investidores que estão atentos à extrema volatilidade de outras moedas.

4. Cardano (ADA)

Um pouco mais tarde para a cena criptográfica, a Cardano é notável pelo seu crescimento precoce.

Sendo assim, o seu método agiliza o tempo de transação e diminui o uso de energia e o impacto ambiental ao remover o aspecto competitivo e solucionador de problemas da verificação de transação presente em plataformas como a Bitcoin.

A Cardano também funciona como o Ethereum para permitir contratos inteligentes e aplicações descentralizadas, que são alimentados pela ADA, sua moeda nativa.

5. Moeda Binance Coin (BNB)

A Moeda Binance é uma forma de moeda criptográfica que você pode usar para negociar e pagar taxas no Binance, um dos maiores exchanges criptográficos do mundo.

Desde o seu lançamento em 2017, a Binance Coin expandiu para além de apenas facilitar as negociações na plataforma de câmbio da Binance.

Agora, ela pode ser usada para negociação, processamento de pagamentos ou até mesmo para reservas de viagens.

Além disso, ela pode ser negociada ou trocada por outras formas de moedas criptográficas, tais como Ethereum ou Bitcoin.

Vantagens e riscos das criptomoedas

O que são criptomoedas
Fonte: Pixabay

Veja abaixo quais são as principais vantagens de investir em criptomoedas:

  • Uma transação em criptomoeda é geralmente um processo rápido e direto. Por exemplo, as moedas Bitcoins podem ser transferidas de uma carteira digital para outra, usando apenas um smartphone ou computador;
  • Toda transação em moeda criptográfica é registrada em uma lista pública chamada blockchain, que é a tecnologia que permite a sua existência.

Isto torna possível rastrear o histórico de transação das Bitcoins para impedir que as pessoas gastem moedas que não possuem, fazendo cópias ou desfazendo transações;

  • O Blockchain visa cortar intermediários, tais como bancos e mercados online, o que significa que não há taxas de processamento de pagamentos;
  • Os pagamentos em criptomoedas estão se tornando mais amplamente utilizados, entre as grandes organizações, e em setores que incluem moda e produtos farmacêuticos.

Riscos de uso da criptomoeda

Existem algumas desvantagens comerciais no uso da moeda criptográfica:

  • É possível perder sua carteira virtual ou apagar sua moeda. Também já houveram roubos de websites que lhe permitiram armazenar a moeda criptográfica remotamente;
  • O valor de moedas criptográficas como as Bitcoins podem mudar significativamente, de modo que algumas pessoas não sentem que é seguro transformar dinheiro ‘real’ em Bitcoins;
  • O mercado de moedas criptográficas não é regulado por instituições financeiras nacionais e internacionais, portanto não há regras em vigor para proteger o seu investimento;
  • Se empresas ou consumidores mudarem para uma nova moeda criptográfica ou deixarem de usar moedas digitais por completo, ela pode perder valor e se tornar inútil;
  • As trocas de criptomoedas são vulneráveis a ataques cibernéticos, o que poderia levar a uma perda irreparável do seu investimento;
  • A moeda criptográfica pode ser vulnerável a esquemas fraudulentos. Os golpistas frequentemente usam plataformas como Facebook, Instagram e Twitter para enganar as pessoas nesses investimentos.
  • Se você suspeita que caiu em um golpe, é importante denunciar o mais rápido possível.
  • A moeda criptográfica pode ser um investimento arriscado e você só deve considerar investir se estiver financeiramente estável e disposto a perder qualquer dinheiro que você coloque nela.

Como investir em criptomoedas com segurança?

Cada vez mais têm ocorrido problemas como golpes e fraudes no investimento em criptomoedas.

Desse modo, é muito importante negociar as suas moedas digitais em corretoras de segurança e estar ciente dos riscos que citamos anteriormente.

Além disso, existem algumas dicas que podem ajudar a evitar possíveis problemas com as suas moedas criptográficos, que são:

  • Evite deixar o seu dinheiro em uma corretora, caso não vá negociá-lo;
  • Deixe as suas criptomoedas em uma carteira própria;
  • Pesquise por uma corretora que possua boas referências sobre segurança;

Portanto, com essas dicas, será bem mais fácil negociar o seu dinheiro de forma segura.

Bom, esse foi o nosso guia completo sobre o que são criptomoedas e sobre como elas funcionam!

Gostou do nosso artigo? Então aproveite e compartilhe com os seus colegas que também desejam investir em criptomoedas!

Dúvidas? Deixe abaixo nos comentários!

Clube Livelo: Planos, Como Acumular Pontos E Mais!

Quem não gosta de acumular pontos, não é mesmo? Se você é desse time, você é dos nossos! Por isso, continue aqui que iremos falar um pouco sobre o Clube Livelo, fundada pela Livelo, programa de fidelidade criado pelo Banco do Brasil e pelo Bradesco, agora conta com um clube de benefícios.

Te apresentamos o Clube Livelo, um serviço de assinatura mensal onde você paga um valor para acumular um número específico de pontos por mês. Além dos pontos, os membros do Clube Livelo têm acesso a diversos benefícios e condições exclusivas nas promoções do programa realizadas ao longo do ano.

Com isso, tendo sua conta livelo criada, basta escolher o tipo de assinatura que mais se adéqua ao seu perfil. A cobrança é mensalmente através do seu cartão de crédito podendo acumular pontos e obter outros benefícios.

Confira todos os planos Clube Livelo com seus benefícios:

clube livelo
https://www.livelo.com.br/
  • Plano 500 de R$ 21,90 por mês: 500 pontos por mês + bônus de 2.500 pontos no primeiro ano = 8.500 pontos ao final de um ano.
  • Plano 1200 de R$ 39,90 por mês:200 pontos por mês + bônus de 6.000 pontos no primeiro ano = 20.400 pontos ao final de um ano.
  • Plano 3000 de R$ 99,90 por mês:000 pontos por mês + bônus de 9.000 pontos no primeiro ano = 45.000 pontos ao final de um ano.
  • Plano 7000 de R$ 199,90 por mês:000 pontos por mês + bônus de 16.000 pontos no primeiro ano = 100.000 pontos ao final de um ano.

Os bônus são creditados em duas parcelas, no 4º e 8º meses de plano, desde que a permanência seja contínua e ininterrupta no plano escolhido. Leia atentamente o regulamento antes da adesão.

 

Algumas vantagens do Clube Livelo

clube livelo
@pexels
  • Autonomia: é permitir que o assinante use seus pontos com maior autonomia.
  • Pontos não vencem: os pontos concedidos não expiram independente do plano contratado;
  • Desconto na compra, renovação e transferência de pontos: membros do clube constantemente participam de ofertas que podem oferecer 40% ou 50% de desconto na compra de pontos. Além do desconto, assinantes do clube possuem um limite maior para compra de pontos que ser de até 500 mil pontos por ano dependendo do plano.

Já te convencemos? Se ainda não, vamos te dar mais quatro motivos para você ser um assinante agora mesmo:

Bônus maior em promoções de transferências bonificadas

clube livelo
@pexels

Você já viu as famosas “Promoções de Transferências Bonificadas”. Nelas, quem transfere seus pontos Livelo para um programa parceiro, recebe um bônus sobre a quantidade de pontos transferidos.

Você vai perceber nesse tipo de oferta que muitas vezes ela conta, por exemplo, com um “até 100% de bônus”. Isso porque, nesse tipo de oferta, há diferentes faixas de bonificações, e no caso da Livelo, há uma diferenciação para quem é apenas cliente livelo e aqueles que são assinantes do Clube!

Compra de pontos com até 50% de desconto

clube livelo
@pexels

As compras de pontos, quando são combinadas com promoções de transferências bonificadas podem te ajudar a realizar ótimas emissões, em especial se você não tem o saldo de pontos necessário para o resgate que você planeja!

40% de desconto na compra de pontos:

clube livelo
@pexels

Assim que você se torna membro do Clube Livelo automaticamente você passará a ter direito a comprar pontos no programa com 40% de desconto, um benefício fixo oferecido pela Livelo para os seus assinantes. Nesse cenário, a compra de cada 1.000 pontos passa a custar R$42.

  • 50% de desconto na compra de pacotes de pontos:

Além disso, a cada 4 meses, assinantes do Clube Livelo podem comprar Pacotes de Pontos com 50% de desconto. Apesar de possuírem uma quantidade pré-estabelecida permitida para compra, que varia de acordo com cada plano, essa é uma ótima oportunidade de adquirir pontos Livelo por um custo reduzido. Nesse cenário, a compra de cada 1.000 pontos passa a custar R$35.

Promoção de 50% de desconto na compra de pontos para assinantes há pelo menos 1 ano

clube livelo
@pexels

Historicamente, a Livelo costuma fazer promoções em que oferece 50% de desconto na compra de pontos, com menos restrição de quantidade do que nos pacotes, para quem for assinante do Clube Livelo há pelo menos 1 ano. Isso ocorreu em 2019, 2020 e também em 2021. Assim como na opção anterior, nesse cenário, a compra de cada 1.000 pontos passa a custar R$35.

Ganhe mais pontos nas promoções de Compre e Pontue – Clube Livelo

clube livelo
@pexels

Outro diferencial para quem faz parte do Clube Livelo é poder ganhar mais pontos promoções no estilo Compre e Pontue. Nesse tipo de oferta, ao realizar a compra de algum produto em um parceiro da Livelo utilizando o link disponibilizado em seu site, você recebe pontos em suas compras.

Durante períodos promocionais, a Livelo oferece a possibilidade de ganhar mais pontos do que o padrão das parcerias, veja abaixo um exemplo de oferta que ofereceu condições diferenciadas para assinantes do Clube Livelo:

Aqui temos outro exemplo de como é vantajoso fazer parte do Clube Livelo, ainda que no plano inicial. Digamos que você compre uma bicicleta de R$1.000 na Centauro na oferta acima. Quem é membro do Clube vai acumular 12.000 pontos ao invés dos 10.000 dos demais participantes. Estamos falando de 2.000 pontos livelo a mais por um custo de R$41,90. Em compras de maior valor ou em ofertas que ofereçam mais pontos, o custo-benefício chega a ser ainda melhor, mais uma vez justificando o custo em troca das vantagens recebidas.

Ganhe pontos todo mês em sua conta no Clube Livelo

clube livelo
@pexels

Como falamos no início da matéria, assinantes do Clube Livelo recebem pontos mensalmente em suas contas, com a quantidade creditada variando de acordo com o plano escolhido. Por se tratar de uma assinatura, temos que ressaltar que você vai estar “comprando” esses pontos, porém de forma diluída ao longo dos meses, além de passar a usufruir dos benefícios de ser um assinante.

Eai, curtiu as dicas? Conta pra gente!

Como economizar nas despesas domésticas

O seu desejo é garantir uma vida financeira tranquila e segurança no futuro de sua família? Diante disto você deve os seus principais custos com despesas domesticas e passar a agir para reduzir gastos e poupar nas contas.

Antes de tudo, a missão de diminuir os custos e poupar dinheiro é um desafio, mas é indispensável para desfrutar de uma vida tranquila.

Principalmente, para o seu sucesso neste conceito, você receberá algumas dicas para equilibrar as contas da sua residência e chegar ao máximo de dinheiro no final do mês.

Reduza suas despesas domesticas

despesas
@pexels

Acima de tudo, um dos segredos para poupar dinheiro é fazer o registro de todas as entradas e saídas, definir metas e prioridades utilizando da tecnologia para prosseguir com o controle.

A partir de agora você vai aprender e diminuir os seus gastos, reduzindo suas despesas domésticas.

Faça o controle de todo dinheiro que entra e sai.

despesas
@pexels

Primeiramente, o passo mais importante para manter as contas básicas da sua casa em dia é entender onde está indo o dinheiro da sua família. A principal forma de entender essa resposta é criando um habito de registrar todas receitas e despesas.

Do mesmo modo, há diversas formas de realizar este controle de custos, pode se utilizar o método tradicional que é o papel e caneta, planilhas ou até mesmo aplicativos de gerenciamento financeiro.

Além disso, a escolha é individual, variando de pessoa para pessoa, utilize a forma que se adaptar melhor, porém, independente da sua escolha, não se esqueça de registrar os pequenos gastos. Somando, eles serão uma das peças chaves para economizar o seu dinheiro.

Nesse sentido, com o registro das suas entradas e saídas, mantenha elas categorizadas, é importante pois vai permitir você ter uma visão maior aos custos que são essenciais para a sua família.

Prioridades

despesas
@pexels

A princípio, após ter as receitas e gastos categorizados e registrados, é o momento de definir os custos essenciais para a família. Ainda assim, são entendidos como prioridades, contas como: água, luz, internet, despesa de supermercado e escola, estas contas devem ser as primeiras a serem pagas.

Do mesmo modo, após o pagamento, distribua o restante do valor para outras categorias, como roupas, viagens e o lazer. Ter prioridades é o passo importante para garantir que não irá faltar recursos financeiros ao final do mês e evitar o pagamento de multas e juros em caso de inadimplência.

Utilize aplicativos para organizar as despesas

despesas
@pexels

Atualmente, o uso da tecnologia pode ser uma ótima aliada para a organização financeira e manter as despesas em dia. Atualmente à diversas opções de aplicativos financeiros trabalhar com o seu gerenciamento.

Porém, nos dias de hoje, existem aplicativos que atualiza automaticamente quando é lançado a sua fatura de cartão de credito ou quando entra ou sai dinheiro da conta corrente; já em outros os valores podem ser inseridos de forma manual. Dentre as vantagens do uso da tecnologia para se organizar financeiramente, é a utilização de gráficos, que vão apresentar as maiores despesas do mês, no qual irá possibilitar definir uma meta de gasto para o orçamento doméstico.

Além disso, outro ponto importante dos aplicativos, é que alguns oferecem o recurso de lembrete de vencimentos de contas. Essa ferramenta é importante para que não haja esquecimento no pagamento de contas, evitando pagamento de juros e uma inadimplência por um simples esquecimento.

Descontos

despesas
@pexels

Agora, diminuir gastos e poupar nas contas, é também escolher a melhor forma de pagamento. Opte sempre por aquelas que oferecem descontos no valor da fatura. Pagando menos irá sobrar mais ao final do mês.

O pagamento a vista de contas é uma maneira de usufruir de descontos que chegam até 15%, pagamentos a vista vão evitar com que caia no parcelamento infinito.

Promoções

despesas
@pexels

Todavia, uma dica importante para manter as despesas sempre equilibradas é boa e velha pesquisa antes de compra. Em compras em supermercado procure ir em dias de promoções, em dia de compras de frutas, legumes ou verduras opte pelas feiras livres e busque negociar com o vendedor. Em caso de lazer opte sempre pelos vouchers de desconto disponibilizados pelas empresas.

Da mesma forma, optar em pacotes promocionais também é um dos meios de economia faça parte de clubes de vantagens. Os estabelecimentos têm o habito de conceder descontos interessantes para o credenciado a eles. Busque sempre as melhores negociais e certifique que fez uma boa escolha.

Planejamento das despesas domésticas

despesas
@pexels

Para ter sempre os gastos da casa em dia, é fundamental o planejamento. Por outro lado, tenha sempre o habito de constituir metas de gastos para suas categorias do orçamento doméstico, comece pelas despesas principais, alimentação, saúde e habitação.

Estipule valores para cada área do seu orçamento e acompanhe sempre as despesas de perto. Com isso você irá garantir que a família está ficando dentro do orçamento mensal. Se identificar que exagerou os gastos em uma das suas categorias busque economizar em outra o manter o seu orçamento solido.

Consumo consciente

despesas
@pexels

Poupar nas contas será possível quando os membros da família estão com entrosados e com o mesmo pensamento. Muitas vezes é necessário abrir mão de hobbies que estão dentro da cultura da família, como a compra por impulso de itens supérfluos e gastos em restaurantes.

Em contrapartida, diminuir nas contas da casa também passa pelo consumo consciente, banhos longos, luzes acessas de forma desnecessária também devem ser revistos para que tenha a economia devida no final do mês.

Dessa forma, para manter as finanças em dia, crie uma disciplina financeira e envolva os familiares no objetivo final que variam de acordo com as metas principais.

Além das dicas de registras as entradas e saídas, uso da tecnologia e prioridades, busque pensar e planejar o futuro, com o saldo positivo busque criar a reserva de emergência para gastos não previstos.

Do mesmo modo, isso vai te certificar de que sua família está segura financeiramente, em caso de adversidades como uma doença, problema na residência, carro quebrado ou um desemprego.

Portanto, após ter uma reserva que mantenha a família segura, trabalhe com investimentos de médio e longo prazo, estas aplicações poderão render lucros valiosos, que vão auxiliar na troca do automóvel, reforma da residência, pagamento de estudos dos filhos em cidades distantes, a compra de uma nova residência para a família ou a viagem dos sonhos.

Aproveite para ler nossas outras matérias sobre finanças.

Dividas: Como Renegociar E Pagar

Devo não nego pago quando puder, quem nunca ouviu essa frase não é mesmo? Afinal as dividas assustam milhares de brasileiros, para sermos mais precisos, mais de 62 milhões de brasileiros estão inadimplentes, segundo o Serasa, e metade tem a renda inteira comprometida. Se você se encontra nessa porcentagem, fique tranquilo, separamos um post exclusivo para te ajudar a renegociar e pagar as suas dívidas.

Por onde começar?

dividas
@pexels

O primeiro ponto é você analisar o quanto você recebe por mês e quanto você gasta, sei que é óbvio, mas as vezes o óbvio precisa ser dito, afinal você não pode e nem deve gastar mais do que você recebe, para uma melhor organização, você pode criar uma planilha para controlar seus gastos, tendo assim uma visão mais ampla no final do mês com as suas despesas.

Para sermos mais práticos ainda, iremos separar alguns tópicos importante para você levar em conta na hora de se organizar.

 

Avalie toda a situação.

dividas
@pexels

Para que você consiga avaliar corretamente, será necessário que você organiza sua renda e suas gastos.

Antes de mais nada, você vai precisar fazer o levantamento das suas contas, incluindo todas as suas dívidas, como cartão de crédito, cheques, carnês, dentre outros, para isso você precisará levar em conta o que você recebe no mês e o quanto você gasta,

Por exemplo: recebo x reais por mês, tenho y para pagar e consigo ter uma parcela de x reais mensal para que consiga quitar minhas contas.

Importante lembrar de não esquecer de incluir na tabela as despesas fixas e variáveis, ou seja, aquelas que possuem um valor fixo e as que podem variar conforme o consumo.

Isso é importante porque esses dados irão te ajudar no cálculo do saldo devedor e na apresentação de uma proposta para a quitação. Com isso, você irá conseguir fazer uma projeção de quanto tempo será necessário para que você pague todas as suas pendencias.

Priorize suas dividas

dividas
@pexels

Quando for decidir qual dívida você irá pagar primeiro é importante priorizar a que oferece a maior taxa de juros, como é o caso das dívidas com banco. O motivo é que o não pagamento desse tipo de dívida tende a ser a maior causa de endividamento do brasileiro.

Por isso, elas devem ser negociadas primeiro em conjunto com as contas de consumo e financiamentos, afinal, o não pagamento das mesmas pode causar a interrupção dos serviços e até a penhora de bens.

Negocie suas dívidas

dividas
@pexels

Ninguém gosta de ser cobrado, não é mesmo? Por isso, não espere seus credores entrarem em contato com você, ao ficar ciente da dívida é importante que você entre em contato a fim de mostrar interesse em quitar a pendência.

Com isso, você deve sinalizar ao credor a opção mais viável de pagamento, com o valor e quantidade máxima de parcelas que cabem no seu orçamento. Se for possível realizar o pagamento à vista, pois é uma ótima possibilidade de reduzir a taxa de juros e conseguir condições especiais no acordo.

Por isso, a negociação da dívida é um momento de troca e o credor possui tanto interesse quanto você no pagamento da dívida. Contudo, essa negociação não deve ser algo unilateral. Durante a conversa, proponha soluções e alternativas para o pagamento da dívida. A negociação deve ser vantajosa para ambos.

Ao apresentar a proposta ao banco, por exemplo, é possível que ele ofereça uma contraproposta. Se isso acontecer com você, alertamos para que haja uma boa análise, para que você não aceite condições que não estejam adequadas à sua situação financeira. Vale a pena confrontar a proposta com a sua planilha de gastos para saber se ela está dentro do seu orçamento.

Além disso, se restar alguma dúvida, não decida por impulso. Discuta as condições de pagamento com a família e volte depois com uma contraproposta ou, se houver concordância, para assinar o contrato de negociação.

Vá aos feirões de negociação

dividas
@pexels

Alguns órgãos de proteção ao crédito e até mesmo instituições financeiras promovem feirões para facilitar o pagamento de dívidas. Esses eventos são ótimas oportunidades para conseguir condições especiais para quitar o débito.

Um bom exemplo clássico é o Feirão Serasa Limpa Nome, o maior evento de negociação de dívidas no Brasil. Para participar é fácil, você precisará se cadastrar na plataforma da instituição. Nesses casos, é possível conseguir condições melhores do que em uma tentativa isolada de negociação.

Certo, até aqui te mostramos como se organizar da melhor maneira a fim de você quitar as suas dívidas, correto? Vale lembrar da importância de você anotar tudo sempre, para verificar qual o melhor caminho a se seguir dentro de suas condições.

Não faça mais dividas

dividas
@pexels

Agora iremos falar de outro ponto, suponhamos que você tenha quitado suas pendências, e a pergunta agora seja; como não fazer mais dívidas? No final dessa matéria iremos te dar algumas dicas importantes para que essa situação não se repita novamente.

Mas antes, iremos falar sobre algumas vantagens de fazer a negociação de dividas online, e acredite vai além do fato de você não precisar sair de casa. Confira:

  • Segurança na transação: as plataformas online de instituições financeiras de confiança seguem padrões globais de segurança de dados, o que garante a sua proteção e de suas informações.
  • Rapidez e conforto na negociação: sem filas, negociações longas e análises demoradas. O procedimento pode ser realizado na internet mesmo, de maneira simples, prática e no conforto da sua casa.
  • Mais discrição: sem ligações, cartas e constrangimentos que distanciam o cliente. No sistema de quitação de dívidas online, não é necessário sair de casa para fazer a negociação.
  • Diálogo amigável: as plataformas online também possibilitam estabelecer um diálogo amigável entre os credores e devedores.
  • Flexibilidade de horário: na plataforma online, é possível escolher a melhor hora do dia para fazer a proposta. Isso só é possível porque o aplicativo está disponível 24 horas por dia e pode ser acessado de qualquer lugar.

Eai, curtiu essas dicas? E pra finalizar, papel e caneta na mão para anotar alguns pontos importantes para você não fazer mais dívidas futuramente.

Dicas extras

dívidas
@pexels
  • Não aceite o crédito fácil que algumas instituições ofertam com taxas maiores.
  • Mantenha a sua planilha financeira sempre atualizada.
  • Busque equilibrar as despesas e receitas, cortando os excessos.
  • Reserve pelo menos 5% da sua renda mensal para imprevistos, mesmo enquanto paga dívidas.
  • Evite fazer novas dívidas quando entrar dinheiro extra como 13º ou rescisão.
  • Use esse dinheiro para quitar dívidas atuais, poupe para imprevistos ou junte para comprar à vista.

Imposto de renda para MEI. Quando é necessário declarar?

Microempreendedor individual, mais conhecidos como MEI, nos dias atuais, mais de 56,7% dos negócios do Brasil são enquadrados como MEI. Foram 2,6 milhões de MEIs abertos em 2020, 8,4% a mais do que em 2019. E esses números aumentam consecutivamente, antes de falarmos sobre imposto de renda, iremos debater sobre as 5 atividades mais exploradas na abertura de MEIs no último ano:

  • Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios – ocupação MEI de comerciante de artigos do vestuário e acessórios independente (180.830 MEIs abertos, +14,7% em relação ao ano de 2019 e 830.830 MEIs ativos);
  • Promoção de vendas – ocupações MEI de panfleteiro independente e promotor de vendas independente (141.054 MEIs abertos, +11,9% em relação ao ano de 2019 e 402.409 MEIs ativos;
  • Cabeleireiros, manicure e pedicure – ocupações MEI de barbeiro, cabeleireiros, manicures e pedi cures (131.679 MEIs abertos, -18,1% em relação ao ano de 2019 e 835.611 MEIs ativos);
  • Fornecimento de alimentos preparados preponderantemente para consumo domiciliar – ocupações MEI de doceiro, marmiteiro etc. (106.172 MEIs abertos, +47,7% em relação ao ano de 2019 e 314.524 MEIs ativos);
  • Obras de alvenaria – ocupação MEI de pedreiro independente (105.217 MEIs abertos, +1,5% em relação ao ano de 2019 e 497.122 MEIs ativos)

Você faz parte de algum segmento acima?

imposto de renda
@pexels

Independentemente de sua resposta, hoje você irá aprender um pouco mais sobre importo de renda.

Como empresa, você precisa pagar imposto todo mês por meio do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) e entregar a Declaração Anual do Simples Nacional.

Como pessoa física, nem todo MEI precisa declarar IR. Você só está obrigado a enviar a declaração se os seus rendimentos tributáveis somaram mais de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis em 2020. Recebeu rendimentos isentos ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40.000,00.

Para sermos mais claros, iremos te mostrar alguns pontos para isso.

 

Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física x Declaração Anual de Faturamento do MEI: qual a diferença?

imposto de renda
@pexels

Antes de tudo, uma dúvida comum entre MEIs é a diferença entre a Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física e a Declaração Anual de Faturamento do MEI. Basicamente, a primeira se refere aos rendimentos da pessoa física e, a segunda, à receita bruta da pessoa jurídica no ano anterior.

Além disso, todo MEI que funcionou pelo menos um dia em 2020 é obrigado a fazer a Declaração Anual de Faturamento. Do mesmo modo, a Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física só deve ser feita pelo microempreendedor que se encaixar em um dos critérios obrigatórios.

Será que sou obrigado a fazer a Declaração Anual de Faturamento do MEI?

imposto de renda
@pexels

De acordo com a Receita Federal, são obrigados a apresentar a Declaração Anual de Faturamento do MEI (também chamada de Declaração do MEI) todos os microempreendedores individuais que atuaram em 2020 – mesmo que por apenas um dia e sem faturamento.

Ou seja: se você teve um MEI aberto em 2020, mesmo que por apenas um dia e sem nenhuma venda ou prestação de serviços, é obrigado a fazer a Declaração do MEI.

Além disso, neste ano, o prazo para o microempreendedor individual declarar o faturamento do ano passado terminou em 31 de maio. Quem perdeu esse prazo deve pagar multa de até 20% sobre o valor dos tributos declarados.

Como consigo calcular a renda como MEI?

imposto de renda
@pexels

Em primeiro lugar, se você quer calcular qual foi sua renda como MEI em 2020 para saber se precisa ou não declarar o Imposto de Renda da Pessoa Física, é importante entender que ela não é igual ao lucro do seu negócio nem à receita bruta.

Nesse sentido, isso acontece porque parte da receita do MEI é isenta de Imposto de Renda. O percentual varia de acordo com o tipo de atividade do microempreendedor:

  • Serviços: 32% da receita bruta anual é isenta de Imposto de Renda;
  • Transporte de passageiros: 16% da receita bruta anual é isenta;
  • Comércio, indústria e transporte de carga: 8% da receita bruta anual é isenta.
  • Um MEI de serviços que teve uma receita bruta de R$ 60 mil em 2020, por exemplo, não paga Imposto de Renda sobre 32% desse valor – o equivalente a R$ 19.200.

Acima de tudo, para calcular a renda do MEI, também é preciso subtrair dessa conta as despesas do negócio no ano passado. O cálculo fica assim:

  • Renda do MEI = Receita bruta – Parcela isenta do Imposto de Renda – Despesas

Ainda assim, se esse microempreendedor de serviços teve uma despesa de R$ 15 mil em 2020, por exemplo, o cálculo de sua renda ficaria assim:

  • Renda do MEI = R$ 60.000 (receita bruta) – R$ 19.200 (parcela isenta) – R$ 15.000 (despesas) = R$ 25.800.

Ou seja, a renda deste MEI, aquela que deve ser considerada como rendimento tributável para saber se é necessário declarar ou não o Imposto de Renda, seria de R$ 25.800. Nesse sentido, como esse valor fica abaixo do piso de R$ 28.559,70 (para quem não recebeu o auxílio emergencial), ele não precisa declarar o IR.

O MEI é obrigado a declarar o Imposto de Renda da Pessoa Física?

imposto de renda
@pexels

Depende. O MEI só é obrigado a declarar o Imposto de Renda da Pessoa Física em 2021 caso atenda algum dos critérios abaixo:

  1. Recebeu ou tem dependentes que receberam o auxílio emergencial em 2020 e registrou, no ano passado, mais de R$ 22.847,76 em rendimentos tributáveis — como renda como MEI, salários, pensões e benefícios do INSS; as parcelas do auxílio não entram neste cálculo;
  2. Não recebeu nem teve dependentes que receberam o auxílio emergencial em 2020 e registrou, no ano passado, mais de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis;
  3. Obteve receita bruta superior a R$ 142.798,50 com atividade rural;
  4. Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, superiores a R$ 40.000;
  5. Obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  6. Teve, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil.
  7. O MEI que não atende a nenhum dos critérios acima, portanto, não precisa fazer a Declaração do Imposto de Renda 2021.

Com isso, concluímos mais uma matéria para te ajudar na hora de fazer a sua declaração. Curtiu as dicas?

O que é home broker? Saiba como utilizar para investir

Se você está pensando em investir em ações na bolsa de valores (B3), saiba que precisa conhecer o home broker. Visto que é uma plataforma digital desenvolvida para facilitar a conexão entre os investidores e o mercado de capitais.

Até mesmo as pessoas que não tem nenhuma experiência em negociar com ações, conseguem aplicar seus recursos em ativos listados na B3. De fato, essa plataforma possibilitou que um maior número de investidores tenha acesso ao mundo das ações.

Entenda com esse artigo como funciona o home broker, bem como o passo a passo para sua utilização de forma adequada. Sem dúvida, depois dessa plataforma investir no mercado de capitais tornou-se uma opção a mais para aplicar os seus recursos.

O que é o home broker?

O home broker é uma plataforma digital que permite a negociação de ações e outros ativos financeiros via internet. De fato, é um sistema muito completo, que permite a negociação de diversos tipos de investimentos, inclusive derivativos.

Todas as operações ocorrem em tempo real, sendo de fácil uso e muito intuitiva. Além disso, oferece maior liberdade para quem quer comprar ou vender ações, sendo que os principais ativos negociados são os seguintes:

  • Ações de empresas de capital aberto
  • Contratos futuros
  • Opções
  • Fundos de Investimentos Imobiliário e ETF’s;
  • BDRs.
Fonte: Imagem de Sergei Tokmakov Terms.Law por Pixabay

A partir da conexão com a plataforma home broker, o investidor consegue emitir ordens de compra e venda, bem como monitorar as cotações de ações listadas na B3.

Conheça as origens do home broker

É interessante destacar que as origens do home broker podem ser associadas com o primeiro pregão automatizado da Bovespa a partir de 1972. Nesse momento, usando a rede de computadores as informações passaram a veicular em tempo real.

Em seguida, vieram as operações automatizadas para opções de ações e a rede de serviços para atuação de corretoras, o Sistema Privado de Operações por Telefone (SPOT).

O avanço seguinte foi com o Computer Assisted Trading System (CATs) ou Sistema de Negociação Eletrônica nos anos 90. A princípio era necessário realizar as operações simultaneamente com o Pregão Viva Voz.

Já o Mega Bolsa foi criado em 1997, sendo um novo sistema de operações eletrônicas, permitindo um grande aumento no processamento de informações.

E na década seguinte, foi a vez dos serviços de home broker e aftermarket, com a negociação após as 17 horas. E, por último, a operação realizada apenas via pregão eletrônico doméstico ocorreu a partir de 2006.

Conheça as principais funcionalidades dessa plataforma digital

Saiba que com a plataforma home broker você consegue ter acesso a diversas funcionalidades fundamentais para os investimentos no mercado de capitais.

Uma delas é o monitoramento da cotação das ações em tempo real. Isso é de extrema importância por permitir a tomada de decisão de compra ou venda de ativos na B3 de acordo com as oscilações do mercado.

Fonte: Imagem de Sergei Tokmakov Terms.Law por Pixabay

Outra funcionalidade muito importante, é a praticidade e rapidez para realização das negociações. Isto porque a emissão de ordens de compra e venda podem ser feitas a qualquer momento no decorrer do funcionamento do mercado.

Além disso, o investidor pode monitorar através da plataforma os movimentos envolvendo a sua ordem de compra ou venda. Bem como acompanhar o seu saldo financeiro, a sua carteira de investimentos e verificar as suas informações pessoais.

Entenda a diferença entre home broker e mesa de operações

Mesmo com a utilização do home broker, a mesa de operações continua existindo e em funcionamento no mercado. De fato, a mesa de operações é uma alternativa importante para quem prefere ter apoio para operar com ativos.

Pode ser considerada como um espaço em que os profissionais realizam as negociações de ativos financeiros, ou seja, as compras e vendas de ações e títulos, dentre outros. Além de auxiliar os investidores na escolha dos produtos e na avaliação de riscos.

Sem dúvida, a mesa de operações é mais utilizada por investidores qualificados que desejam um atendimento mais personalizado. Além de serem muito úteis para negociar produtos financeiros exclusivos e/ou realizar operações estruturadas.

Para utilizar a mesa de operações, o investidor deve arcar com uma taxa de corretagem que tem o seu valor variável, conforme o montante negociado. Já para os investimentos via home broker a taxa é fixa, sendo um percentual único para venda e outro para compra.

Saiba que para decidir entre usar o home broker ou a mesa de operações, é preciso levar em conta o seu perfil de investidor. Isto porque se quiser negociar com mais independência, o mais adequado é a plataforma digital. E se preferir ter auxílio, o melhor é optar pela mesa.

Vantagens de investir via plataforma digital em ações

A utilização do home broker oferece inúmeras vantagens para o investidor, sendo as principais as seguintes:

1ª – Maior autonomia para realizar os investimentos de qualquer lugar que estiver, desde que tenha acesso a internet. Além disso, tem maior liberdade, pois não é necessário ficar dependendo da consulta a um operador.

De fato, precisa entender os processos e como funciona o home broker, bem como querer ou não assumir riscos.

2ª – Opção de estruturar as operações para orientar e otimizar os seus investimentos. Por exemplo, utilizar uma ordem de stop loss que limita o prejuízo. Este recurso é muito estratégico para investidores que atuam com o objetivo de especulação financeira.

3ª – Redução de custos com a taxa de corretagem de menor valor do que a taxa da mesa de operações.

Desse modo, é fácil perceber como o home broker facilita as operações realizadas pelo investidor de forma independente.

Como funcionam as negociações no home broker?

O funcionamento do home broker ocorre a partir da emissão de ordens dos investidores para as corretoras ou bancos. Tanto os principais bancos quanto as corretoras possuem seu home broker, sendo que existem pequenas diferenças pontuais entre eles.

Independente dessas diferenças, todos oferecem negociações com ações, fundos de investimentos e títulos do governo, dentre outros. Além disso, um passo a passo para investir por meio do home broker é o seguinte:

1º – Abrir uma conta na corretora de valores escolhida para realizar as operações, sendo que partir dessa ação terá acesso a um login e senha para operar usando a plataforma;

2º – Transferir o dinheiro para a conta na corretora, que normalmente usa o  depósito bancário de contas vinculadas ao CPF do titular;

3º – Realizar o acesso ao aplicativo ou site da corretora, que disponibilizará o acesso à cotação das ações da B3;

4º – Escolher o ativo de uma determinada empresa para realizar o investimento, ou seja, a compra ou venda dos papéis. Para isso é disponibilizado botões de compra e venda;

5º – Para operações de compra é necessário informar a quantidade de ações que deseja adquirir, bem como o valor que está disposto a pagar;

6º – A operação de venda pode acontecer a qualquer momento a partir do lançamento de uma ordem de venda com a especificação da quantidade e do valor pretendido;

7º – Após o lançamento da ordem, a realização da operação é efetuada assim que o sistema encontrar um vendedor ou comprador que aceite o valor;

8º – Concluída a operação, as ações negociadas serão adicionadas ou retiradas da sua carteira de investimentos.

Entenda o que é o book de ofertas

Para registrar as intenções de compra e venda de ativos negociados na B3 existe o book de ofertas, ou seja, livro de ofertas. De fato, esse nome tem origem antes do uso dos recursos computacionais em que as intenções eram escritas em um livro.

Nessa época, era necessário que os investidores interessados em comprar e vender ações passassem essa informação para os corretores. Sendo que o pregão da bolsa de valores era em viva-voz.

Atualmente, com os recursos tecnológicos o book de ofertas se tornou digital, com todas as ordens sendo visíveis para todos os investidores na B3. Neste sentido, para realizar o registro das ordens de compra e venda deve seguir os seguintes critérios:

1º – Para as ordens de compra de ativos, a listagem é por ordem decrescente de valores, com destaque no topo da lista para as de maior valor;

2º – Para as ofertas de venda de ativos, a listagem é por ordem crescente, estando as de menor valor no topo da lista;

3º – Tanto para as ofertas de compra quanto as ofertas de vendas com valores iguais, prevalece a listagem da mais antiga para a mais recente, ou seja, ordem cronológica;

4º – Quando uma operação é realizada, as outras ofertas de mesmo valor são retiradas da listagem de oferta do ativo.

Fonte: Imagem de Ahmad Ardity por Pixabay

As ofertas são exibidas na tela mantendo o lado esquerdo para as ordens de compra e o lado direito para as ordens de vendas. Desse modo, quando os dois valores se encontram é realizada a comercialização.

Como escolher o melhor home broker do mercado?

As corretoras e bancos operam com plataformas digitais próprias, as quais possuem características diferenciadas. Por isso, antes de escolher um home broker para operar é preciso verificar os seguintes aspectos:

1º – Conhecer a corretora e como funciona a sua plataforma digital;

2º – Mapear os custos de corretagem, de custódia e impostos cobrados em cada um das corretoras pesquisadas;

3º – Verificar como funciona o apoio técnico oferecido ao investidor, inclusive se oferece um programa de treinamento;

4º – Identificar quais as ferramentas de conhecimento estão disponíveis;

5º – Indagar se a corretora possui sistema de simulação para você conhecer na prática as funcionalidades da plataforma.

Atualmente, as principais home broker existentes no país são:

  • Inter
  • BTG
  • XP
  • Easynvest
  • Rico
  • BB
  • Itaú
  • Bradesco

Portanto, a plataforma digital home broker amplia o acesso das pessoas ao mercado de capitais, principalmente por ser online e muito intuitiva. Sem dúvida, o investidor que gosta de atuar com mais autonomia deve optar pela plataforma.